(Español) Claudia Piñeiro. ” Las viudas de los Jueves”. Alfaguara. Madrid

Gabriel Brandão Leave a Comment

Altos de la Cascada es una urbanización situada en las afueras de Buenos Aires, donde vive gente pudiente. Campo de Golf, canchas de tenis, fiestas, tómbolas y continuas reuniones sociales –desde cenas hasta clases del club de pintura- componen el escenario. Las familias, ajenas a lo que pueda pasar en el mundo externo –por ejemplo, en la barriada pobre colindante, …

(Español) Meg Meeker: Padres fuertes, hijas felices (Strong Fathers, Strong Daughters) Ciudadela. Madrid

Staff 1 Comment

La autora, médico pediatra y madre de cuatro hijos, con larga práctica en el atendimiento clínico y psicológico de adolescentes y sus familias, recoge aquí sus experiencias que convergen para el recado principal: el padre es una figura esencial e insubstituible para formar a las propias hijas. Los 10 capítulos del libro son consejos que la autora da a los …

Os Abraços partidos de Almodóvar: A deformada imagem de uma triste realidade.

Gabriel Brandão Filmes 10 Comments

   O melhor do último filme de Almodóvar é o título. Abraços partidos. No título original em espanhol os abraços não se partem: quebram-se, que é muito mais forte. São abraços rotos. O título é preciso, funciona como um prelúdio de tudo o que vem depois, como acontece com freqüência na ópera. Na abertura se esboçam os temas principais, compassos das …

(Español) Susanna Tamaro “El misterio y lo desconocido”. Seix Barral, (1999).120 pgs.

Gabriel Brandão Leave a Comment

Se recogen en esta breve obra, dos conferencias de Susanna Tamaro y una entrevista, todas fechadas en 1999. El título del libro es el de la primera conferencia. El misterio provoca admiración, mientras que lo desconocido causa miedo. La autora discurre, con su vitalismo tan próximo del día a día, y nos hace ver cómo lo desconocido no se soluciona …

Kazuo Ishiguro. “Não me abandone jamais” Companhia das Letras. São Paulo (2005). 343pgs.

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Romance peculiar, com um suspense “incômodo” que apenas se esclarece no final do livro. As pessoas funcionam corretamente, mas são como de plástico, sem história de vida, sem raízes, sem família. Algo não se entende. E chega mesmo a incomodar as passagens onde se mostra que funcionam sem nenhuma categoria moral, apenas com uma correção formal muito questionável. No fim, …

John Twelve Hawks. “O Peregrino” 496 pgs. Rocco. Rio de Janeiro, 2005.

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Romance de ficção. Uma mitologia que descreve a Imensa Máquina controladora dos homens, os Peregrinos, seres que não estão sob o controle da máquina, e os Arlequins, cuja missão na vida é proteger os Peregrinos. Um romance mistura de capa e espada e Star Wars empolgante e que prende a atenção. Curiosamente, ninguém sabe quem é o autor, se o …

José Antonio Millan: “Perdón Imposible” RBA Barcelona. 2005. 173 pgs.

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Um livro divertido e dinâmico, que pretende ser um guia para uma pontuação mais rica e consciente. A obra não é um compêndio de regras, frias, desencarnadas. São reflexões, ilustradas com exemplos, que motivam o leitor para que se adentre na aventura de melhor pontuar. Afinal, não pontuamos –diz o autor- para dar gosto aos especialistas, mas para melhor comunicar-nos …

Alejandro Llano: “Cultura y pasión”. Eunsa, Astrolabio. Pamplona. 2007

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Coleção de ensaios deliciosos sobre temas atuais delineados com instigante perspectiva filosófica. Aborda-se o que seja a cultura, o tema da globalização, a sociedade da informação versus a sociedade do conhecimento, a técnica da informação versus a educação fecunda. O papel da universidade nos dias de hoje, a necessidade de fomentar as humanidades como foco do verdadeiro saber, o urgente …

Helga Schneider: “Deixa-me ir, mãe”. Berlendis Editores. São Paulo, 2001. 135 pgs.

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

São 135 páginas que narram o encontro da filha, hoje sexagenária, com uma mãe de 90, que abandonou ela, o irmão de ano e meio, e o marido, para cumprir sua missão e dever sendo guardiã das SS nos campos de extermínio. Um escrito real e psicológico, onde se mistura a falta de amor para uma mãe que nunca o …

Etty Hillesum. “Una vida conmocionada” – Record, 1981, 260 pgs.

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

A Tertúlia Literária mensal, brinda-me a oportunidade de voltar sobre um livro especial, que me impactou no seu dia. Trata-se do Diário de Etty Hillesum, uma intelectual judia holandesa, no período de 1941-1943. A autora acabou sendo deportada para os campos de concentração onde morreu. O diário é uma avalanche de sentimentos, percepções, sonhos, desejos, procura sincera de Deus, misturada …