(Español) Julia Navarro. “Dime quién soy”

Gabriel Brandão Leave a Comment

Julia Navarro. “Dime quién soy”. Plaza & Janés. Barcelona. 2010. 1.097 págs.     La primera advertencia delante de esta novela es que no hay que asustarse con las casi 1100 páginas, pues no se trata de una densa tarea a cumplir sino de un ameno descanso, donde la lectura no supone mayores esfuerzos. No es un buceo psicológico –como podría sugerir …

Aos Cem Anos da Morte de Machado de Assis

Gabriel Brandão Colaboradores Leave a Comment

Por Sérgio Sardinha de Azevedo     No dia 29 de setembro de 1908, o Rio de Janeiro assistia à morte do maior escritor brasileiro: Machado de Assis. Com ele, a literatura brasileira havia conhecido não somente um estilo novo mas, sobretudo, uma acuidade intelectual penetrante, com maturidade suficiente para analisar e compreender personalidades, acontecimentos, instituições e correntes de pensamento.     Quando Machado …

(Español) Gregorio Marañón: “El Greco y Toledo”

Gabriel Brandão Leave a Comment

Gregorio Marañón: «El Greco y Toledo». En Obras. Completas. Volumen VII, pgs. 413-538. Espasa Calpe. Madrid. 1971.     Nos brinda Marañón en este ensayo, un estudio histórico profundo, de dos de sus grandes amores: Toledo y el Greco. Porque Marañón es así de transparente cuando escribe y cuando algo le apasiona lo deja entrever sin miramientos. Me recordó una de sus …

Marta Braga: "Lições de Gustavo Corção"

Gabriel Brandão Livros 2 Comments

Marta Braga: «Lições de Gustavo Corção». Quadrante. 2010. 139 pgs.     Este livro –uma agradável surpresa que não esperava- brindou-me a oportunidade de lembrar, com imenso carinho, a obra de Gustavo Corção. Voltei a viver momentos inesquecíveis, da ha mais 30 anos, quando, recém chegado ao Brasil, fiz as minhas primeiras incursões na literatura nacional. Posso dizer que Corção tem sua …