Um homem chamado Ove: a importância de um sorriso

Gabriel Brandão Filmes Leave a Comment

En man som heter Ove. Suécia. 2015. Diretor: Hannes Holm. Rolf Lassgård, Bahar Pars, Filip Berg, Ida Engvoll, Tobias Almborg, Klas Wiljergård, Chatarina Larsson. 116 min Os filmes nórdicos são assim. Diretos, pontuais. Sem rodeios, sem enganchar-se em sentimentalismos latinos, sem entrelinhas. Tudo são linhas: claras, diretas ao ponto. Chegam frequentemente embrulhados numa produção sóbria, barata, sem grandes pretensões. A …

Paterson: A poesia no quotidiano

Gabriel Brandão Filmes Leave a Comment

Paterson. (2016). Diretor: Jim Jarmusch. Adam Driver, Golshifteh Farahani, Kara Hayward, Sterling Jerins, William Jackson Harper. 112 min. Tinha lido a crítica no jornal e chamou-me a atenção o motorista poeta. Depois chegou um desafio desses que, como sem querer, te lançam no grupo de colegas da faculdade, por ter criado uma fama imerecida de crítico de cinema. Dizia mais ou menos …

Ítalo Calvino: "O Visconde partido ao meio"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Ítalo Calvino: “O Visconde partido ao meio” Companhia das Letras. 1997. 90 pgs. (incluído na trilogia: “Os Nossos Antepassados”) A tertúlia literária mensal traz à tona esta pequena-grande obra de Ítalo Calvino. Um escritor que faz da fantasia recurso para analisar o ser humano, ajuda a entender melhor o homem contemporâneo e, naturalmente, dá recados que nos acompanham na aventura …

Paul Kalanithi: "O último sopro de vida"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Paul Kalanithi: “O último sopro de vida”. (When Breath becomes air) Sextante. Rio de Janeiro, 2016. 167 pgs. Um médico escrevendo sobre doenças e morte não é novidade. Aliás, cada vez mais são os médicos que se aventuram a escrever sobre este tema.  Faço questão de centrar a temática, porque a escritura e a medicina sempre correram paralelas. Há quem …

Dino Buzzati: "O Deserto dos Tártaros"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Dino Buzzati: “O Deserto dos Tártaros”. Ed Nova Fronteira. São Paulo, 1984. 190 pgs. Como fui aventurar-me neste deserto dos tártaros? Foram os comentários de alguns colegas na nossa reunião mensal da Comissão de Humanidades Médicas, no Conselho Federal de Medicina. E também uma referência a Buzzati que apareceu numa das minhas leituras anteriores.  Adquiro o livro na estante virtual …

Miguel de Cervantes: "Novelas Exemplares"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Miguel de Cervantes: “Novelas Exemplares”. Aguilar. Madrid, 1949 em Obras Completas. O quarto centenário da morte de Cervantes era um apelo muito forte para ser recusado na nossa tertúlia literária mensal. Sabendo que ainda nos restaria a dívida com Shakespeare -que morreu no mesmo dia que Cervantes, 23 de Abril de 1616- decidimos pelas Novelas Exemplares. Não uma obra menor, …

Fabrice Hadjadj: "La Profundidad de los Sexos. Por uma mística de la carne"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Fabrice Hadjad: “La Profundidad de los Sexos. Por uma mística de la carne”. Nuevo Início. 2010. Granada. 302 pgs. Um amigo, que também se delicia com os livros deste filósofo desconcertante, emprestou-me este. Desconcertante, porque sua escrita é uma verdadeira gangorra que oscila do Marques de Sade ou Madame Bovary até os Padres da Igreja (S. Clemente de Alexandria, S. Basílio …

Ernesto Sábato: "La Resistencia"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Ernesto Sábato: “La Resistencia”. Planeta/Seix Barral. Buenos Aires. 2006. 149 pgs. Traduzido pela Companhia das Letras Um amigo enviou-me por email em formato eletrônico. “Li este ensaio de Ernesto Sábato, lembrei de você. Vás gostar”. Agradeci imediatamente, passei o anexo para o meu smartphone, abri, li um par de páginas….e desisti. Fui diretamente no estante virtual –onde encontro quase tudo o …

Lopez Lomong: "Correr para vivir"

Gabriel Brandão Livros Leave a Comment

Lopez Lomong: “Correr para vivir”. Astor, Palabra. Madrid. 2014. 300 pgs.      Quando me recomendaram este livro (que li em espanhol, não há versão portuguesa, mas a linguagem é fácil de entender) o primeiro que me perguntei é o por que do nome do protagonista que é também quem escreve.. López não me parecia um nome adequado para um sudanês. Vim …

Uma Vida Comum: O Encanto de uma rotina iluminada

Gabriel Brandão Filmes 1 Comment

Still Life. (2013). 92 min. Diretor: Uberto Pasolini . Eddie Marsan, Joanne Froggatt.      Uma vida comum. Esse é o título que nos oferece a tradução brasileira. Correto, resume o contexto, mas não chega a ser tão desafiante como o original: Still Life, natureza morta. Esse sim é preciso, audaz, impactante. Igual que a temática, a interpretação –quase um solo extraordinário do …